Casa Curta-SE

topo do site

‘O Pequeno Cientista’ trabalha questões ligadas à natureza com espectadores

 

'O Pequeno Cientista' debateu o filme 'Oceanos' / Foto: Victor BaldeO documentário mostrou diversas espécies marinhas / Foto: Victor BaldeFoto: Victor BaldeAdeline Brito / Foto: Victor BaldeKevin de Oliveira / Foto: Victor BaldeMarcos Vinicius / Foto: Victor BaldeGeilsa Santos / Foto: Victor BaldeDepois da sessão, os alunos visitaram uma exposição do Projeto Tamar / Foto: Victor BaldeFoto: Victor BaldeFoto: Victor BaldeAs crianças receberam brindes dos patrocinadores após a exibição / Foto: Victor Balde

Animais marinhos, poluição dos oceanos e o papel do homem na preservação da natureza. Esses foram alguns dos temas debatidos nesta sexta-feira, 7, durante ‘O Pequeno Cientista’ após a exibição do filme ‘Oceanos’. A atividade que integra a programação do Festival Internacional de Cinema Infantil (Fici) teve a participação da bióloga Adeline Brito.


O documentário produzido pela Disney Nature explora as histórias e mistérios que se escondem nos mares. Os diretores Jacques Perrin e Jacques Cluzaud mergulharam fundo nas águas que sustentam a vida da humanidade no planeta, explorando o esplendor e as duras realidades das estranhas e maravilhosas criaturas que moram no mar.


“Este é um espaço em que, mais do que assistir a um filme, as crianças vêm para debater e aprofundar os conhecimentos. Prova disto foram as perguntas que sugiram logo após o filme”, disse Adeline, que durante a exibição explicava as espécies que apreciam no documentário.


‘O Pequeno Cientista’ tem uma parte dos ingressos destinados à venda e outra destinada a alunos da rede pública de ensino. Isso proporciona que alunos como Kevin de Oliveira, de 12 anos, conheça uma sala de cinema. “Nunca tinha vindo e gostei muito. Quero voltar muitas vezes”, disse o aluno do 5º ano da Escola Estadual Desembargador João Bosco de Andrade.


Marcos Vinícius, 11 anos, também foi ao cinema pela primeira vez. “Achei tudo bonito: a sala, o cinema, o filme. Queria que o colégio trouxesse a gente outras vezes”, contou o estudante.


Coordenadora da escola em que Kevin e Marcos estudam, Geilsa Santos, conheceu o festival este ano. Segundo ela, é importante que eventos como o Fici venham a Aracaju mais vezes. “Essa é uma oportunidade única de alunos de baixa renda conheceram o cinema. O bom do festival é que os filmes, além de divertirem, educam”, destacou.


Após a discussão, os alunos puderam conhecer um pouco do projeto Tamar. Uma exposição foi montada com cascos de tartarugas, mandíbulas de tubarão, filhotes de cavalo marinho e polvo. A exposição ficou montada até as 17h.


Programação
No sábado, 8, acontece a  ‘Dublagem ao Vivo’. As sessões às 11h30, 13h30, 15h30 e 17h30 com os filmes ‘O Diário do Panda’, ‘Sopa de Sapo’, ‘As Grandes Aventuras da Abelha Hutch’ e ‘O Grande Urso’, respectivamente. Durante os filmes, os dubladores Alexandre Marconato e Gardênia Bicalho farão as vozes de todos os personagens.


Além disso, no sábado e domingo diversos filmes serão exibidos. Nas salas 3D, às 10h30, serão exibidos ‘Deu a louca na Chapeuzinho’ e ‘Animais Unidos Jamais serão vencidos’ também pelo preço único de R$5.


Incentivado pela Lei Rouanet, o festival tem patrocínio do BNDES, Petrobras, OI, McDonalds, Schin, Protex e Governo do Rio de Janeiro. A produção local é da Casa Curta-SE e conta com o apoio da Fundação Aperipê, Superlux, Portal Infonet, TV Sergipe, Shopping Jardins, Ativa Impressão Digital, loja Pinóquio e Fredd’s Lanches, com produção da Copacabana Filmes e realização do Governo Federal.

Anote

fone2_menor

A Casa Curta-SE está com novo telefone. 

Anote: (79) 3085-7416.

 

ico_twitterico_youtubeico_faceboock

Centro de Estudos Casa Curta-SE

Rua O dois, n. 61, conj. A Franco, Bairro Farolândia, Aracaju-SE

CEP: 49030-296

Endereço postal:

Praça Dep. Pedro Barreto de Andrade, nº 75, Conj. A. Franco, Bairro Farolândia, Aracaju-SE

 Caixa Postal 3825