Casa Curta-SE

topo do site

Festival Infantil de Cinema inicia atividades com projeto 'O Pequeno Jornalista'




Foto: Marco VieiraFoto: Marco VieiraFoto: Marco VieiraDeyse Rocha / Foto: Marco VieiraPriscila Andrade / Foto: Marco VieiraAniele dos Santos / Foto: Marco VieiraGiovani Santana / Foto: Marco VieiraLilia Levy / Foto: Marco Vieira

Nesta sexta-feira (4), o Festival Internacional de Cinema Infantil (Fici) chegou a Aracaju com o projeto ‘O Pequeno Jornalista’. Comandado pela repórter da TV Atalaia Priscila Andrade, o projeto aconteceu em duas sessões e exibiu o filme ‘O Menino da Floresta’. O Fici segue até o dia 13 de outubro e tem a produção local da Casa Curta-SE..

VEJA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA.


Dirigido por Jean-Christophe Dessaint, a animação francesa ‘O Menino da Floresta’ conta a história de um garoto com pouco mais de dez anos de idade, que vive no interior de uma floresta com o seu pai, mantendo hábitos selvagens de sobrevivência.


Mas após seu genitor entrar em apuros, o bom garoto sai dos limites da floresta para salvá-lo e acaba por conhecer uma comunidade, onde faz novos amigos e conhece um modo diferente de viver.


“O festival é um espaço que vai além da exibição de filmes. É uma forma promover acesso a filmes de qualidade e ajudar no desenvolvimento do senso crítico de várias crianças. Das 11 edições do Fici, Aracaju já recebeu dez. Isso mostra que temos um público cativo”, destacou a produtora local, Deyse Rocha.


O Pequeno Jornalista
O filme foi assistido por 80 alunos, entre os seis e 17 anos, do Serviço de Convivência de São Cristóvão. A sessão ‘O Pequeno Jornalista’ tem como objetivo exercitar o espírito jornalístico dos jovens espectadores, através de um debate e uma atividade em sala de aula, no qual eles vão escrever sobre o filme, prestando atenção na sua estrutura narrativa e personagens.


Logo após o término do filme, a jornalista Priscila Andrade iniciou uma gincana com os alunos, fazendo perguntas diversas sobre a animação, e que se respondidas corretamente, premiava os pequenos. A brincadeira gerou uma alegria coletiva na turma.


A sessão empolgou alunos como Aniele dos Santos, de 12 anos. "Adorei o filme pela mensagem de amor entre pai e filho, mas pra mim, o que mais marcou foi ter vindo para o cinema pela primeira vez. Nunca vi um filme numa tela grande dessa", disse a jovem.


Outro estudante que também apreciou muito a experiência foi Giovani Santana, de 17 anos. "Eu já venho no cinema de vez em quando, mas sempre em grupos menores. É muito bom vir pra cá, com muitos colegas. A gente se diverte mais", explicou ele.


Para a orientadora social do Serviço de Convivência, Thuany Reis, a sessão é uma oportunidade única para os alunos. "Através dessa atividade eles podem aprender melhor, se expressar melhor, pois no universo que eles vivem, nem sempre isso é possível. Além disso, esta é uma forma de despertar um dom neles e fazer com que nós educadores também vejamos isso, podendo exercitar este dom", disse a orientadora.


Priscila também ficou satisfeita com o resultado e espera ter contribuído na educação dos estudantes. "Eu busco estimular nos estudantes, uma forma deles refletirem sobre o que acabaram de ver, para que a mensagem do filme não fique apenas na mente, e sim que eles o dissequem, que façam uma interpretação do que viram", explicou a Priscila.


Novos Jovens
O festival também exibiu, nesta sexta-feira, o longa nacional "5x Favelas - Agora Feito por Nós Mesmos". Produzido por Cacá Diegues, o filme é a continuação de outro sucesso nacional, e conta cinco histórias diversificadas, ambientadas nas favelas cariocas.


No entanto, a nova película é realizada pelos próprios moradores, o que contribui na atmosfera semi-documental da obra. A sessão foi vista pelos alunos do Colégio Médici e seguida por um debate, ministrado pela coordenadora pedagógica do festival, Lilia Levy.


Lilia realizou o debate intitulado ‘Novos Jovens’, e deu início a uma discussão sociológica sobre o papel do jovem atual, como observador e moldador das transformações sociais, numa conversa que envolveu os estudantes.


Festival
O FICI completa 11 anos celebrando os números que fazem da mostra a principal do gênero no país. Do começo modesto, com apenas 15 filmes de nove países, sendo cinco do Brasil, o festival já soma hoje 570 filmes exibidos e um público total superior a 1 milhão de espectadores.


Apoio
Através de Lei de Incentivo à Cultura, o Festival conta com o apoio local da Superlux, TV Sergipe, Infonet, KJM Telecom, 3G Mídia exterior, Shopping Jardins, e patrocínio do BNDES, OI, Petrobras, Cinemark e Prefeitura do Rio de Janeiro, co-produção da Espaço Z e Casa Curta-SE. A produção e realização é da Copacabana Filmes. O festival é uma realização do Governo Federal.

 

Por Matheus Fortes

 

VEJA A GALERIA DE IMAGENS.

Anote

fone2_menor

A Casa Curta-SE está com novo telefone. 

Anote: (79) 3085-7416.

 

ico_twitterico_youtubeico_faceboock

Centro de Estudos Casa Curta-SE

Rua O dois, n. 61, conj. A Franco, Bairro Farolândia, Aracaju-SE

CEP: 49030-296

Endereço postal:

Praça Dep. Pedro Barreto de Andrade, nº 75, Conj. A. Franco, Bairro Farolândia, Aracaju-SE

 Caixa Postal 3825