Casa Curta-SE

topo do site

Curtas sergipanos abrilhantam abertura do Curta-SE 16

IMG_1748

 

 

A Mostra Competitiva de Curtas Sergipanos da 16ª edição do Festival Iberoamericano de Cinema de Sergipe (Curta-SE), uma das programações mais esperadas do Festival, foi exibida na Abertura Oficial, na noite da última terça, 14. A cerimônia contou com a presença de diversos realizadores, atores, autoridades e o público em geral.

 

Na Mostra, foram exibidos os filmes ‘A cura’, ‘A vida que não cabe’, ‘Ninguém nunca ouve’, ‘Obrigado, Destino!’, ‘O Doce Exílio – A breve passagem de Jorge Amado por Estância/SE’, ‘O passe’, ‘O vendedor de Sereias’, ‘Super frente, super 8’ e ‘Toda espera é pouco’. Após as exibições, o público presente teve a oportunidade de avaliar os curtas, dando notas de 0 a 5. O resultado da votação de hoje sairá no próximo sábado, 21, às 19h, durante a Cerimônia de Premiação do Curta-SE 16.

 

Sergio_Borges

 

 

O diretor do curta sergipano ‘O Doce Exílio – A breve passagem de Jorge Amado por Estância/SE’, Sérgio Borges, afirma que a cena do audiovisual de Sergipe é o Curta-SE. “O Festival é uma oportunidade muito importante para os realizadores sergipanos exibirem suas produções para uma plateia interessada na área. Eu acompanho o audiovisual do Estado há mais de 16 anos e percebi uma grande evolução, as produções têm melhorado bastante”, completa.

 

“Acho importante prestigiar o Curta-SE por ser um trabalho sergipano e nós precisamos dar valor ao que é da terra. Temos muitas pessoas com talentos escondidos e aos poucos estão desenvolvendo. Portanto, nada mais justo do que vir prestigiar e participar da votação”, explicou Alex Pedral, fotógrafo, cinegrafista e expectador fiel do Curta-SE.

 

IMG_1644

 

De acordo com a diretora Executiva do Festival, Rosângela Rocha, além da importância de valorizar o que é produzido no Estado, “outro fator relevante para a exibição dos curtas sergipanos na abertura foi buscar estimular os realizadores locais a participarem mais ativamente do Festival. Queremos ter a participação deles desde o primeiro dia do Curta-SE 16”.

 

Curtas Sergipanos

 

IMG_1858

 


As exibições dos curtas sergipanos começaram com o filme ‘A cura’, dirigido por Fred Massa, que conta a história de Miguel, um aluno de Biomedicina, que ao entrar uma nova aluna em sua sala de aula, se apaixona e viram amigos. A determinado ponto dessa amizade, ele comete o erro de pedir Júlia em namoro por não ter percebido que ela é homossexual. A partir disso, Miguel tem a absurda ideia de transformá-la em hétero e passa tempos estudando a fórmula da cura, trazendo inúmeros problemas para os dois.

 

Em seguida, foi a vez do documentário ‘A vida que não cabe’, de Baruc Carvalho Martins, que mostra como quatro mulheres trans de Aracaju conduzem as suas vidas dentro de casa. O terceiro foi a ficção ‘Ninguém nunca ouve’, dirigido por Hadryedja Dias Montes, narrando a história de uma garota numa delegacia, relatando os abusos que passou. As memórias da menina ainda são muito fortes e a fazem reviver as marcas da violência que sofreu.

 

‘Obrigado, Destino!’ foi o quarto curta sergipano exibido na noite. Sob a direção de Felipe Nunes dos Santos, Gleisy Anny Barbosa Santos e Julian Silva Santos, o filme conta a história de uma mulher solteira que sai da sua casa desesperada para achar seu grande amor nas linhas do destino. A aventura amorosa produzida por alunos do Senac, passa por uma promessa de um casamento certeiro na cidade de Itabaiana, conhecida como a cidade apadrinhada por Santo Antônio, o santo casamenteiro.

 

Logo depois, foi exibido o filme ‘O Doce Exílio – A breve passagem de Jorge Amado por Estância/SE’ de Sérgio Borges. O documentário mostra a curta, porém intensa, convivência do jovem escritor Jorge Amado na cidade de Estância (SE) durante os anos 30, os acontecimentos e curiosidades que marcaram a bela época na pequena cidade do interior de Sergipe.

 

O curta ‘O passe’, dirigido por Erna Barros, foi mais um documentário exibido no Curta-SE 16. Ele oferece ao público informações sobre o Magnetismo enquanto ciência e trás à tona reflexões acerca do passe magnético e sua atuação terapêutica na vida das pessoas. Trazendo diversos entrevistados, o filme apresenta o passe espírita não como magia ou guiado por rituais místicos, mas como uma prática natural.

 

‘O Vendedor de Sereias’, dirigido por Robério Santos e rodado em Itabaiana (SE), narra a saga de Fellipe dos Santos, peixeiro, que após um grave acontecimento em seu sítio, começa a produção de uma carne exótica, intitulada por ele como “Carne de Sereia”. Após o incidente, Fellipe vai até a Pedra da Sereia em São Miguel do Aleixo (SE), fazer uma oferenda a fim de eliminar todos os males que vinham ocorrendo em seu sítio, no povoado Bula Cinza, em Itabaiana. O Curta sergipano mostra o início da saga do Peixeiro, e como Mário Sal e Fellipe dos Santos se conheceram.

 

Já o curta ‘Super frente, super 8’, de Moema Pascoini, trata-se de um documentário que aborda a formação do movimento superoitista em Aracaju (SE). O filme, produzido em 2015, mescla os dois tempos, passado e presente, ao propor a movimentação dessa história, onde os realizadores da época são convidados a voltar a filmar, assumindo a proposta de fazer do documentário uma criação coletiva e amadora.

 

Para finalizar a noite, o Curta-SE exibiu ‘Toda espera é pouco’, de Manoela Veloso Passos. Esse documentário retrata o processo de produção do disco ‘Enquanto Espera’, de Alex Sant’Anna, lançado no ano passado, revelando a construção, experimentações e etapas de produção do disco que conta com 12 composições.

 

Apoio

Através da Lei de incentivo à Cultura, o Festival tem o apoio da Revista Preview, Benedito Lado B Produções, Mix Estúdios, Mistika, Cia Rio, Pontão de Cultura Digital Avenida Brasil, NET, Festival de Avanca – PT, Fest’Afilm – FR, Tagi.i ; e apoio cultural do Cinema Vitória, Secult-SE através do Funcart. A realização é da Casa Curta-SE, AVBR Produções e Ministério da Cultura / Governo Federal.

 

 

Por Carolina Leite e Tirzah Braga

Fotos: Sostina Silva

Anote

fone2_menor

A Casa Curta-SE está com novo telefone. 

Anote: (79) 3085-7416.

 

ico_twitterico_youtubeico_faceboock

Centro de Estudos Casa Curta-SE

Rua O dois, n. 61, conj. A Franco, Bairro Farolândia, Aracaju-SE

CEP: 49030-296

Endereço postal:

Praça Dep. Pedro Barreto de Andrade, nº 75, Conj. A. Franco, Bairro Farolândia, Aracaju-SE

 Caixa Postal 3825